Blogue

love what you do and do what you love

23-10-2013 00:00

 

"Se os Animais Falassem"
SIC, sábados e domingos às 11h

 

técnica pomodoro

22-10-2013 00:00

Nem sempre é fácil gerir o nosso tempo e distribuí-lo pelas várias tarefas que temos a cumprir. Trabalhar em casa já dificulta a gestão entre o trabalho e as tarefas domésticas, além disso, quando temos necessidade de estar constantemente ligados à net, é ainda mais difícil não nos "perdermos" ou desconcentrarmos.

Há tempos, no blog da Rita, descobri uma técnica preciosa para ajudar a gerir o tempo quando tenho várias tarefas para o mesmo dia ou quando estou com mais dificuldades de concentração:

É a Técnica Pomodoro e consiste em usar uma aplicação inspirada nos temporizadores de cozinha para controlar o tempo. O programa está dividido em blocos de 25 minutos com 5 minutos de intervalo. Ao fim de 4 blocos de 25 minutos, faz-se um intervalo maior (15 a 30 minutos). No entanto, é possível alterar a duração de cada bloco, ajustando às nossas necessidades.

Com o tempo dividido por blocos relativamente curtos de tempo, é mais fácil manter a concentração e programar o tempo que se dedica a cada tarefa, canalizando para o intervalo a consulta de emails, redes sociais ou outros sites, ou mesmo uma curta pausa longe do computador. Com esta ajuda, o trabalho rende mais e acabamos por ser mais produtivos.

 

Links:

site oficial > https://pomodorotechnique.com

temporizador > https://flowkeeper.sourceforge.net

para mais informação > busywomanstripycat.blogspot.pt/2012/08/a-tecnica-do-tomate-aka-tecnica-pomodoro.html

untranslatable words illustrated and explained

12-10-2013 00:00

how to spell the alphabet

07-10-2013 00:00

as palavras segundo Saramago

03-10-2013 00:00

As palavras

 

As palavras são boas. As palavras são más. As palavras ofendem. As palavras pedem desculpa. As palavras queimam. As palavras acariciam. As palavras são dadas, trocadas, oferecidas, vendidas e inventadas. As palavras estão ausentes. Algumas palavras sugam-nos, não nos largam: são como carraças: vêm nos livros, nos jornais, nos slogans publicitários, nas legendas dos filmes, nas cartas e nos cartazes. As palavras aconselham, sugerem, insinuam, ordenam, impõem, segregam, eliminam. São melífluas ou azedas. O mundo gira sobre palavras lubrificadas com óleo de paciência. Os cérebros estão cheios de palavras que vivem em boa paz com as suas contrárias e inimigas. Por isso as pessoas fazem o contrário do que pensam, julgando pensar o que fazem. Há muitas palavras.

 

José Saramago, Deste Mundo e do Outro

realização profissional

01-10-2013 00:00

Quando comecei a traduzir para audiovisual, sentia "o peso da responsabilidade" por ter de definir a versão final em português, tendo a preocupação de escolher as melhores palavras para cada frase, mas sempre com receio de não fazer a escolha mais correcta.

Lembrava-me muito dos meus amigos que costumam citar frases de séries e filmes e pensava que, um dia, alguém também poderia vir a citar frases de programas traduzidos por mim.

 

Pois esse dia chegou e é uma satisfação ver o nosso trabalho reconhecido por um público muito exigente :)

Este tipo de comentários é um sinal de que o esforço compensa e um incentivo para continuar a busca pelas palavras certas!

ao sabor das marés...

13-09-2013 00:00

 

Num mundo ideal, o volume de trabalho surgiria de foma a ser bem distribuído ao longo da semana ou do mês, mas isso não passa de uma miragem...

O mais comum é o trabalho ir e vir em vagas. Por isso, nós, tradutores freelance, temos de aprender a gerir o tempo (e os rendimentos) ao sabor das marés.

férias?!?!?!

11-09-2013 00:00

The same applies to a translator's life...

 

 

Reblogged from https://celtx.tumblr.com/

passatempo para linguistas

06-09-2013 00:00

Identificar idiomas só pelo som:

 

https://greatlanguagegame.com/

 

divirtam-se!

o alfabeto

05-09-2013 00:00

 

Numa recente visita à exposição Sob o signo de Amadeo. Um século de arte, fiquei apaixonada por esta obra de João Vieira, um óleo sobre tela com o título Alfabeto I (1981). Adoro a forma como as pinceladas desenham cada uma das letras, maiúsculas e minúsculas.

 

Para mim, o alfabeto é a ferramenta básica de um tradutor, que pega nas letras de um texto, "brinca" com elas um pouco (ou muito, em alguns casos) e apresenta-o num novo idioma.

 

Este quadro foi uma bela descoberta, mas esta exposição reservava ainda outra agradável supresa: mais uma vez, tive o privilégio de ver ao vivo um dos meus quadros preferidos (La Bibliothèque en feu [A Biblioteca em fogo], 1974, de Vieira da Silva):

 

 

Para quem tiver possibilidade, é uma exposição a não perder, que estará patente no Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian, até ao dia 19 de Janeiro de 2014 (aos domingos, as visitas são gratuitas).

<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7 >>