artigo de fevereiro > word magic: how much really gets lost in translation?

28-02-2015 00:00

O artigo escolhido para o mês de Fevereiro aborda um dos maiores dilemas do tradutor: encontrar a palavra certa. É uma luta contastante e pode ser inglória, já que, algumas vezes, a palavra certa só sai debaixo da língua depois do texto enviado... Frequentemente, o termo que parece mais óbvio não é aquele que procuramos para o contexto que estamos a traduzir, por ser demasiado literal e não transmitir a mensagem que pretendemos transmitir. Esse facto que só dificulta a busca.

 

The book’s presupposition is that there are significant, namable, untranslatable differences between tongues, so that, say, “history” in English, histoire in French, and Geschichte in German have very different boundaries that we need to grasp if we are to understand the texts in which the words occur.

 

Neste artigo, é também apresentado um curioso dicionário: “Dictionary of Untranslatables: A Philosophical Lexicon”.