O processo de tradução

22-05-2014 00:00

 

Esta imagem é um exemplo perfeito do processo de tradução.

Começamos com o texto que nos é enviado pelo cliente. Idealmente, é um texto claro, bem legível e sem erros. Na prática, nem sempre isso acontece. Em certos casos começa logo por ser um texto confuso (por exemplo, manuais enviados por empresas chinesas num inglês que deixa muito a desejar).

Depois, começamos a traduzir. Fazemos determinadas opções. Destacamos palavras ou expressões quando não estamos muito convencidos que sejam as mais indicadas ou quando não temos a certeza do seu significado. Bloqueamos num termo ou numa frase. Paramos e andamos às voltas. Até que decidimos destacar essa parte também e avançar mais um pouco. Chegamos ao fim da tradução com muitas dúvidas. Voltamos atrás para resolver as questões que ficaram pendentes. Fazemos novas pesquisas. Corrigimos algumas coisas. Decidimos fazer algumas alterações, que implicam correr o texto outra vez e reformular algumas frases. Ainda há termos e expressões destacadas. O prazo está a aproximar-se. Percorremos outra vez o texto à procura das partes destacadas e, finalmente, com a pressão, surgem soluções. Fazemos uma última revisão (se houver tempo).

A versão final, um texto limpinho e organizado,  fica pronta. Idealmente, nos casos em que o texto de partida é confuso, o texto de chegada será mais claro, transmitindo a mensagem de uma forma mais correcta.

Acredito que , muitas das pessoas que têm apenas acesso ao texto final ou que comparam o texto de partida com o texto de chegada sem terem noção de todo o trabalho e questões que se colocam ao traduzir um texto, devem achar que se trata de um processo muito linear, em que basta conhecer os dois idiomas e passar palavra a palavra de um lado para o outro.

Mas a realidade não é essa, para se conseguir uma tradução linear é preciso dar muitas voltas.